Bem-vindo ao nosso 14° Café da Manhã!

“Enfim, Paris!”… E assim iniciei meu diário de viagem em 14 de julho de 2015. Em publicações anteriores, transcrevi este início – o primeiro e o segundo dia – na capital francesa (Leia aqui: Dia 1 e Dia 2). Como já havia dito, não existe qualquer ambição de transformar este blog num guia de turismo, entretanto, uma ou outra observação poderá nortear sim os desejosos por conhecer Paris. As anotações foram escritas in loco e, várias vezes, nos momentos em que estava vivenciando determinada situação. Enfim, eis o terceiro dia, 16 de julho de 2015:

Montmartre, lá vou eu. Último dia em Paris. Amanhã, voo para Lisboa. Je suis désolé! Quero ficar mais, sem a presença de turistas, por favor!

Hoje, foi mais um dia especial. Pela manhã, visitei a Basilique du Sacre Coeur de Montmartre.  Romaria em Paris também existe. Lugar onde mais ouvi brasileiros. Sacre Coeur transborda energia. Sim, meus olhos lacrimejaram quando me sentei num dos bancos da basílica, talvez por me lembrar de meus avós e desejar que eles estivessem comigo neste lugar.

Basilique du Sacre Coeur (arquivo pessoal)

Basilique du Sacre Coeur (arquivo pessoal)

De Sacre Coeur para Cemitière de Montmartre. Uma caminhada pelo boulevard, e voilà: o túmulo de Émile Zola. Continuei, e me deparei com Moulin Rouge, uma das casas de espetáculo mais conhecida do mundo. Metrô, hora de conhecer a Cathédrale Notre-Dame.

Mais um pouco de caminhada pelo marco zero de Paris, e chego à livraria Shakespeare and Company. Simplesmente magnífica, pequena, antiga e fascinante. Vontade de parar no tempo, ler toda a obra de Ernest Hemingway no aconchegante segundo andar da livraria. Quero ficar mais.

Shakespeare and Company (arquivo pessoal)

Shakespeare and Company (arquivo pessoal)

Próxima parada: La Bûcherie. Hora do almoço, às 17h: une Salade Océane et un vin blanc. Aqui, encontrei a garçonete mais bonita de Paris. Isto, escrevo no restaurante, após a refeição que me custou 23,70 €.

La Bûcherie (arquivo pessoal)

La Bûcherie (arquivo pessoal)

Quero ficar mais. Escolhi visitar menos lugares e aproveitar mais, muito mais. La Bûcherie fica ao lado da Shakespeare and Company e quase em frente à Cathédrale Notre-Dame. Après, caminhada por Montparnasse, uma nova Paris.

O cansaço já começou a dominar. Então, resolvi voltar para a Place d’Italie. C’est fini! Café Margeride é a última parada. Escolho une bière, hoje faz muito calor em Paris. A cerveja vem acompanhada de pipoca, acredite! Quero ficar mais. É preciso de pelo menos 30 dias na capital francesa.

paris-16-07-15

Café Margeride (arquivo pessoal)

Decidi escrever um diário de viagem, mas poderia muito bem me dedicar ao romance “O Poeta Beija a Flor”, pois os ares daqui favorecessem a escrita.

Ah, alerta, as francesas fumam, e muito. Aliás, é fácil reconhecer os franceses no meio dos turistas: nos cafés, fumam; no metrô, leem.”

Au revoir, e até amanhã!

Prazer, Pablo.

Deixar um comentário