Bem-vindo ao nosso 13º Café da Manhã!

Há seis meses, iniciei uma pesquisa sobre os programas de pós-graduação stricto sensu na área da educação. E uma constatação: não é uma jornada nada fácil escolher uma Universidade pelas informações disponíveis em websites, principalmente para quem preferiu o Ensino a Distância para concluir uma graduação em Letras (eu havia interrompido a formação presencial, em processo de conclusão, nos anos 2000) e um MBA em Coaching.

Sim, não ter o hábito de frequentar corredores universitários fez toda diferença nessa busca. É inegável que o ensino online trouxe consigo inúmeras vantagens, no entanto a vida acadêmica in loco ainda não pode ser totalmente descartada; e arriscaria até a dizer que jamais poderá. Um bom café e algumas orientações presenciais potencializam, sem dúvida, a evolução do estudante.

Ah, neste ponto inicial, é importante também compreender a diferença, no Brasil, a respeito das titulações do universo acadêmico. Os cursos lato sensu, oferecidos sem processo seletivo de forma presencial e a distância, são conhecidos como: Especialização ou Master of Business Administration (MBA). Geralmente, estes cursos têm duração de 12 meses e exigem, além de provas e atividades variadas, a apresentação escrita e oral de um artigo científico, sobre tema abordado nas disciplinas, no final do processo. Já o stricto sensu diz respeito aos cursos de Mestrado e Doutorado, cuja duração irá variar de dois (Mestrado) a quatro anos (Doutorado). Nestes casos, há uma imersão por parte do aluno em processos de estudos mais específicos, formulação de problemas e produção de dissertações e teses. Isto é, a exigência de comprometimento é bem maior, se comparado aos cursos de lato sensu, principalmente para aqueles que desejam atuar como pesquisadores ou docentes na Educação Superior.

Por eu morar em Penha (SC), e minha família, em Blumenau (SC), dei mais atenção às opções próximas: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) e Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB). Primeiro, a opção sem custos! No website da UFSC, contudo, foi onde encontrei maior dificuldade com relação às informações. Além disso, lembrei-me da época em que cursei Letras lá e, assim como na graduação, eu sabia que o processo seletivo dos programas de pós-graduação era bem concorrido. Em seguida, as opções com custos que giram em torno de R$ 1.500,00 mensais. Uma página aqui, duas ligações acolá, e informações mais esclarecedoras e convidativas. Acabei por escolher a FURB, com aulas presenciais duas vezes por semana (quinta e sexta-feira, manhã e tarde) e início do ano letivo em março de 2017.

Para você que deseja frequentar um programa de pós-graduação, oportunidades não faltarão na internet de programas no exterior, por exemplo. Todavia, dependendo dos caminhos e da Universidade escolhida, a revalidação do diploma conquistado em outro país poderá proporcionar uma bela dor de cabeça na volta ao Brasil. Fique atento!

A jornada continua no próximo post: o primeiro encontro informal com uma das professoras do programa, a escolha da linha de pesquisa e a escrita do projeto.

Mais um gole de Café, e até amanhã!

Prazer, Pablo.

Deixar um comentário